02/08/2021

02/08/2021

Apple recebe convite para adoptar o RCS

A Google tenta dar o impulso final para a adopção dos RCS, a nova geração dos SMS, convidando a Apple a aderir.

A Google tem feito um trabalho notável para acelerar o processo de transição dos SMS para o RCS, tendo feito num par de anos aquilo que as operadoras de telecomunicações pareciam não ter qualquer vontade em fazer numa década. Actualmente os RCS já estão disponíveis na maioria dos smartphones Android, mas resta ainda um pequeno entrave, que a Apple também adira a este sistema.

A Apple muito se tem apoiado no seu iMessages como forma de diferenciação (sofrendo de conveniente "amnésia" relativamente à promessa de Steve Jobs de que o iMessage seria um sistema aberto), mas agora a Google aproveita a preocupação com a segurança que a Apple tanto faz questão de promover, para relembrar que quando um utilizador Apple quer enviar uma mensagem para um utilizador com Android, a mensagem é enviada via SMS tradicional, com toda a falta de segurança que isso representa - e por isso mesmo, convida / desafia a Apple a também aderir ao RCS, que permite mensagens com encriptação end-to-end e todas as demais vantagens associadas aos serviços de mensagens modernos.

É um desafio que deixa a Apple numa posição complicada. Como promotora da segurança, será inevitável que, mais cedo ou mais tarde a Apple tenha que ceder e adoptar o RCS, pois será ridículo estar a tentar defender a permanência nos SMS; por outro lado, ao fazê-lo, reduz o factor de dependência no iMessages. Muito provavelmente, ainda se irá arrepender de não ter lançado um iMessage para Android enquanto ainda ia a tempo de poder tornar-se no serviço de mensagens universal que poderia ter enfrentado WhatsApp, Messenger e afins.

MeeTime já disponível para Portugal


A MeeTime da Huawei chega ao mercado nacional, estando disponível para instalação nos mais recentes equipamentos da marca chinesa.

A Huawei revela que a Huawei MeeTime, uma aplicação desenvolvida pela Huawei que permite fazer videochamadas entre dispositivos Huawei compatíveis, já está disponível em Portugal. A MeeTime é a primeira aplicação de videochamadas que se aplica a qualquer cenário, uma vez que permite fazer chamadas entre portáteis, tablets e smartphones Huawei.

"No contexto atual, onde a ligação com os nossos entes queridos ou a realização de reuniões onde quer que estejamos se transformou numa parte integrante do nosso dia-a-dia, as aplicações de videoconferência passaram elas mesmas a ter um papel importante nas nossas vidas. Na Huawei desenvolvemos a Huawei MeeTime, a aplicação de videochamadas gratuita, que está agora disponível em Portugal, e que acreditamos que, com as funcionalidades que disponibiliza, será uma excelente ferramenta de trabalho ou, simplesmente, uma forma de nos aproximar de familiares ou amigos, mesmo que seja através de um ecrã”, refere Ana Lorena, Head of Marketing e Comunicação da Huawei Consumo em Portugal.

Partilha de ecrã através da MeeTime traz mais conectividade

Além de possibilitar que, mesmo sem um cartão SIM, um smartphone possa estabelecer uma videochamada em 1080P com outro dispositivo através de Wi-Fi, a MeeTime permite aos utilizadores partilharem os seus ecrãs para que quem está connosco em videochamada possa ver e assinalar no seu próprio ecrã notas e comentários que, de forma simples e rápida, serão mostrados para ambos os intervenientes. Esta funcionalidade, que pode ser utilizada para discutir compras ou itinerários com amigos, ou mesmo ensinar os seus pais a usar uma determinada função no seu telemóvel, torna a experiência de utilização muito mais fácil e divertida. Basta desenhar e marcar no ecrã e quem está do outro lado poderá seguir o processo a cada passo, como se estivesse a ver um vídeo pré-gravado.

Por exemplo, num cenário em que o utilizador e um amigo precisam de escolher um voo, sem recurso à MeeTime seria necessário encontrar os voos disponíveis, fazer uma captura de ecrã, e enviá-la antes de a discutir. Com a MeeTime, basta tocar no botão ‘Mais’ no canto inferior direito do ecrã e selecionar a opção ‘Partilhar ecrã’ para que quem está do outro lado consiga acompanhar as nossas pesquisas e, assim, em tempo real, escolher a opção de voo que mais se adequa a ambos. Possibilita ainda que o utilizador desenhe um círculo à volta do voo que prefere, o que torna as conversas mais eficientes para tomar decisões.

A opção de Partilha de Ecrã através da Huawei MeeTime é também uma ferramenta eficiente em contexto de teletrabalho e telescola, uma vez que os professores podem utilizar esta plataforma para supervisionar os trabalhos de casa dos alunos online ou explicar questões complexas de forma mais intuitiva.

Da mesma maneira, as equipas que estejam distribuídas por diferentes locais podem também colaborar de forma remota e visual com a opção de Partilha de Ecrã. Quando uma equipa que está a preparar um  projeto precisa de ‘encontrar-se’ para rever um documento, por exemplo um PowerPoint, a MeeTime oferece a possibilidade de abrir o documento e partilhar o ecrã, de modo a que ambas as partes na chamada o possam editar em simultâneo e de forma colaborativa no seu ecrã. Se o utilizador pretender sublinhar, apagar ou acrescentar alguma informação, pode fazê-lo, diretamente, através do seu ecrã, para que a reunião se torne mais eficiente.

AI ajuda a melhorar condições de fraca luminosidade ou de rede na videochamada

A Huawei MeeTime é diferente de outras aplicações de videochamada, isto porque a Huawei criou um conceito chamado comunicação em todos os cenários, onde estão envolvidos diferentes dispositivos, entre eles smartphones, portáteis e tablets, que podem, com esta aplicação, comunicar entre si. Em comparação com outras aplicações, a MeeTime permite que os utilizadores alternem com suavidade entre smartphones e tablets Huawei durante uma videochamada. Além disso, a plataforma está integrada com reconhecimento facial e algoritmos inteligentes de otimização facial para melhorar significativamente a resolução do retrato quando há pouca luz. Por outro lado, com o apoio da colaboração multi-ecrã, um smartphone pode aceder, diretamente, ao microfone e à câmara de um PC, para que o utilizador possa receber chamadas telefónicas pela MeeTime diretamente no seu portátil.

 

Já quando a qualidade da rede é má, a tecnologia de super-resolução incorporada na MeeTime através da largura de banda compensa a qualidade de vídeo em tempo real, o que permite uma imagem HD suave mesmo em más condições de rede, tais como garagens subterrâneas.

 

Um dos princípios centrais do design da Huawei MeeTime é a encriptação de ponta a ponta, que assegura que quando há um pedido de partilha de ecrã, a plataforma verifica duas vezes com o utilizador para obter o seu consentimento, oferecendo aos seus utilizadores diversas garantias: se o pedido for de uma aplicação de terceiros, a partilha de ecrã será limitada à aplicação; se o utilizador sair da aplicação, o outro lado só poderá ver o último frame, e, por fim, se o utilizador receber uma mensagem de texto enquanto partilha a aplicação, o outro lado não conseguirá ver essa mensagem. Todos estes aspetos contribuem para que quando se está a fazer uma chamada de vídeo, a privacidade de cada utilizador esteja protegida.

 

A partilha de ecrã através da Huawei MeeTime revoluciona a interação tradicional baseada em voz/vídeo. Tudo o que é necessário fazer é atualizar o smartphone Huawei para o sistema operativo EMUI 10.1, para que cada vez mais utilizadores Huawei possam desfrutar da eficiente e conveniente comunicação de voz e vídeo em todos os cenários, e experimentar uma nova interação interpessoal num mundo totalmente conectado.

 

Os smartphones que suportam a aplicação MeeTime são: Mate 40 Pro, P40 Pro+, P40 Pro, P40, P40 lite, P40 lite E, Mate 30 Pro, P30 Pro New Edition, P30 Pro, P30, Nova 5T, Mate 20 Pro, Mate 20, P Smart 2021 e P Smart S.

Relativamente aos tablets, a Huawei MeeTime é suportada pelos modelos MatePad, MatePad Pro e MatePad 11. 
01/08/2021

01/08/2021

Google promete manter as suas API por mais tempo

A Google quer recuperar da sua imagem de "matadora de serviços" e promete que irá manter as suas API estáveis durante quanto tempo os seus clientes precisarem delas.

Hoje em dia não há nada mais arriscado do que depender de qualquer serviço externo. Ainda recentemente tivemos o caso de um serviço de vídeo que começou a injectar pornografia em milhares de sites; e no caso da Google, bem, o risco é diferente mas não menos irritante para quem utiliza os seus serviços: de que um serviço que se utiliza hoje possa nem sequer existir amanhã.

As API (Application Programming Interface) definem a forma como diferentes programas ou serviços podem interagir entre si. Podem ser algo que nos dê uma secção de um mapa do Google Maps centrado numa morada; ou que indique quais os eventos que estão agendados para determinada data para a conta do utilizador. O ponto chave é que, ao criar serviços que utilizam estas APIs, qualquer alteração que lhes seja feita implica uma verdadeira "carga de trabalhos" a actualizar todos os demais serviços que as utilizavam - e é isso que a Google quer mudar.

A Google diz que vai implementar novas regras e criar um subconjunto APIs que abrangem os seus principais serviços (Google Cloud, Google Workspace e Google Maps) e que terão a garantia de que se irão manter inalteradas ou compatíveis, durante o tempo que os seus clientes as estiverem a utilizar. Basicamente, a Google diz que vai manter essas APIs "para sempre", esperando que isso seja suficiente para reconquistar a confiança de todos os que já tiveram que lidar com as muitas mortes de serviços da Google. Se será suficiente ou não, só o tempo o dirá.

Lycamobile com tarifário de 20GB a 10€ (promoção)


Este tarifário está disponível por 10€, durante 6 meses. 

A Lycamobile, o maior operador virtual móvel do mundo, comercializa a partir de agora em Portugal o cartão SIM Lyca Nacional M, um cartão de telemóvel pré-pago que permite usar 20GB de Internet e ainda efetuar chamadas nacionais para todas as redes aos melhores preços.

 

Com o Lyca Nacional M, o utilizador pode usar 20GB de Internet, usufruir de 1000 minutos de conversação e SMS, e ainda fazer chamadas e usar 8.5GB de internet em roaming ao viajar por todos os países da UE/EEE.

 

A partir de hoje, o serviço da Lycamobile passa a contar com a tecnologia 4G LTE. A empresa em Portugal passa, desta forma, a fornecer a todos os seus clientes um serviço de maior qualidade e velocidade sem custo extra.

 

Pesquisas e downloads mais rápidos é aquilo que os clientes da Lycamobile podem esperar agora do serviço pré-pago da marca, o que torna muito mais aliciante a adesão a esta opção de comunicação: sem contratos nem fidelização, o cliente carrega o que pretender e quando pretender no seu cartão, agora com um serviço de internet mais rápido.

 

 

Este avanço demonstra a dedicação da Lycamobile em fornecer os melhores serviços, ao mesmo tempo que continua os seus planos de expansão. Com 15,8 milhões de utilizadores de telemóvel em Portugal e sendo 98% da população com acesso à Internet utilizadora de smartphones, Portugal é uma região importante para a Lycamobile onde a empresa vai continuar a apostar com novas tecnologias e melhor serviço.

 

Além da grande taxa de penetração que a marca já tem na comunidade estrangeira e imigrante em Portugal, a Lycamobile está a registar com este serviço “um crescimento acentuado junto dos portugueses, apresentando-se como uma solução muito competitiva no que respeita às suas comunicações móveis”, reforça António Arnaut, Country Manager da Lycamobile Portugal.

 

Fundada em Londres em 2006, a Lycamobile fornece chamadas internacionais, mensagens e dados a baixo custo em modelo pré-pago a mais de 16 milhões de clientes em todo o mundo. A empresa é a líder de mercado em chamadas pré-pagas, operando em 23 países, em cinco continentes e a sua ambição de expansão inclui o serviço pós-pago, já iniciado em alguns países.

 

Para mais informações sobre a empresa consulte o site http://www.lycamobile.pt/por/ 
31/07/2021

31/07/2021

Android 12 sem personalização de tipos de letra e ícones

Na transição para o Android 12 a Google diz adeus à personalização do tipo de letra e icons no Android, e nem todos estão contentes.

O Android é conhecido por ser infinitamente personalizável, e nas versões mais recentes isso incluía ajustar o tipo de letra, cores, e icons. Algo que infelizmente desapareceu na mais recente versão beta do Android 12, e que parece que não foi por engano mas sim uma remoção deliberada.
Ao que parece, a Google acha que os novos temas dinâmicos do Material Design serão suficientes para dispensar a necessidade de personalizar estes aspectos do interface do Android - embora seja de esperar que a maioria dos utilizadores que dava uso a essa funcionalidade concorde.

Claro que restará sempre a possibilidade de usarem um launcher alternativo, mas com cada vez mais restrições a serem aplicadas no Android por causa das questões de segurança, resta perguntar quanto é que os utilizadores se arriscam a perder ao optarem por essa alternativa.

My Huawei vai concentrar serviços de 3 plataformas


A nova aplicação vai estar disponível a partir da próxima semana. 

A Huawei anuncia o lançamento da My Huawei, uma nova aplicação que é constituída por três diferentes plataformas já existentes: Suporte Huawei, Comunidade Huawei e Loja Online Huawei.

A aplicação My Huawei foi criada para ajudar os utilizadores a partilharem as suas experiências, adquirirem novos produtos, receberem as últimas notícias da Huawei e encontrarem os serviços que procuram de forma simples e ainda mais rápida e sem necessidade de descarregar mais do que uma aplicação Huawei.

 

As principais categorias desta aplicação são:

- Home: a secção onde são apresentadas as mais recentes notícias e atividades relacionadas com a Huawei;

- Loja: para ver e comprar produtos Huawei;

- Comunidade: a secção onde os utilizadores Huawei podem comunicar e interagir uns com os outros, para partilhar experiências ou mesmo tirar dúvidas entre si;

- Suporte: onde encontramos os serviços oficiais de pós-venda, incluindo informações sobre dispositivos, diagnósticos inteligentes, serviços e benefícios, atividades, resolução de problemas, entre outros;

- Me: esta secção é o perfil do utilizador. Aqui, todos os dados e conteúdos da aplicação ficam guardados para que, apenas, o utilizador possa ter acesso sempre que quiser.

 

A aplicação estará disponível em Portugal a partir de Agosto e poderá ser descarregada através da Huawei AppGallery. 
30/07/2021

30/07/2021

NOS Wi-Fi chega ao fim

Todas as pessoas que dependiam do NOS WiFi para acederem à internet terão que encontrar alternativas, pois o serviço será encerrado a 13 de Agosto.

O serviço NOS WiFi dava acesso aos hotspots de outros clientes NOS, permitindo que, nas zonas com boa concentração de clientes, fosse fácil ter internet sem necessidade de gastar dados móveis. Infelizmente, e escolhendo uma das piores possíveis, a NOS está a anunciar que o NOS WiFi irá ser descontinuado a 13 de Agosto, sem dar qualquer alternativa aos clientes. A data é infeliz pois chega no período de férias que, mesmo com a atenuante Covid-19, fará com muitos portugueses se desloquem para longe de casa, podendo ser a altura do ano em que mais precisavam do NOS Wi-Fi.


Por mera curiosidade, seria simpático saber se este encerramento se deve à falta de utilizadores do serviço, ou ao caso oposto, de haver um número crescente de utilizadores que a NOS prefere que se mudem para os tarifários mobile pagos.

Ainda mais simpático, e podendo fazer esquecer este encerramento, seria lançarem por cá um tarifário equivalente aos que existem lá fora, e que nos oferecem coisas como 120 GB de dados por 9.99 euros. Isso sim, seria uma excelente prenda de Verão, Inverno, e todas as estações do ano.

Nunca mais deixe a TV ligada durante a noite inteira



Uma extensão electrica para ser controlada pelo smartphone. 

Hama apresenta a régua WLAN (referência: 00176574) com 4 tomadas para controlo de dispositivos por app ou voz e quatro tomadas USB para carregamento de dispositivos móveis.

O que a régua WLAN propõe é essencialmente acrescentar um controlo e programação inteligentes para todos os equipamentos conectados, sejam televisores, sistemas hi-fi, consolas de jogos, sistemas de ar condicionado ou fontes de luz, com a vantagem principal de não ter de manter todos os dispositivos sempre ligados, e de poder criar cenários de uso à sua medida.

Na prática, isto significa que, usando a app Hama Smart Home para iOS ou Android, ou comandos de voz compatíveis com Amazon Alexa ou Google Assistant, podemos criar automações como programar a ligação do rádio para coincidir com a chegada a casa, ou ativar um ar condicionado quando a temperatura exterior exceder um valor estabelecido pelo utilizador.

Podemos inclusive configurar a ligação de fontes de luz em certos períodos do dia enquanto estamos fora, em férias, para simular a presença de pessoas em casa – e tudo isto com um controlo preciso dos recursos energéticos gastos, contribuindo para uma poupança geral no final do mês.

O melhor de tudo é que a régua WLAN da Hama é muito fácil de usar, não se reservando apenas aos mais versados em tecnologia ou produtos smart home.

A régua estabelece uma ligação direta ao router sem necessidade de um hub adicional ou outras instalações. Em minutos conseguimos integrar os nossos dispositivos de luz e eletrónicos na rede e explorar as inúmeras possibilidades do controlo individual de equipamentos por app ou voz.

Finalmente, a régua WLAN inclui 4 portas USB para carregamento direto de smartphones, tablets ou outros dispositivos.

Preço e disponibilidade

A régua WLAN da Hama está já disponível no mercado português por um PVP recomendado de 39,99 euros.

Mais informaçãohttps://pt.hama.com/ 
29/07/2021

29/07/2021

Esta não é uma boa altura para comprar um smartwatch com WearOS

A Google revelou mais alguma informação relativa às actualizações para o novo Wear OS 3 feito em parceria com a Samsung, confirmando que os smartwatches mais antigos não terão direito a actualizações.

O Wear OS até tem tido um bom comportamento em termos de fazer chegar as actualizações à maioria dos dispositivos, mas a apresentação do Wear OS 3 acompanhada pelo anúncio da Fossil de que não iria haver actualizações para os smartwatches no mercado fez recear o pior. A Google indica que smartwatches como os TicWatch Pro 3 e TicWatch E3 da Mobvoi irão receber actualizações (como já tinha sido avançado), assim como os próximos modelos da Fossil a lançar ainda este ano - modelos que usam o Snapdragon Wear 4100. No entanto, smartwatches mais antigos, com o Snapdragon Wear 3100 ficam de fora da lista.

Para minimizar as reclamações, a Google diz que o actual Wear OS 2 irá continuar a existir e a ser mantido (com os dois anos de actualizações de segurança após a data de lançamento), sendo a (única) opção possível para quem não tiver direito a actualizações para o Wear OS 3, mas também para aqueles que mesmo que tenham a actualização disponível, prefiram manter-se com o sistema actual.

Por via das dúvidas, quem estiver a pensar comprar um smartwatch com Wear OS deverá esperar pela chegada da próxima geração, que já venha de origem com o Wear OS e o mais recente chipset; ou, se não estiver disposto a esperar, optar pelos modelos indicados da Mobvoi, que terão direito à actualização para o Wear OS 3 - mesmo que eventualmente optem por não a fazer, se estiverem satisfeitos com os relógios tal como estão.

Power U30 da Wiko aposta na autonomia


6000mAh para muita hora de utilização, sem ter de recorrer ao carregador, promete a Wiko.

Sempre para ir mais longe e melhorar constantemente a autonomia dos smartphones da marca, a WIKO tem trabalhado durante anos para garantir a autonomia energética e proporcionar a melhor experiência ao utilizador. Desde 2019, a gama View tem oferecido bastante autonomia, com baterias potentes, até 3,5 dias de utilização com uma única carga. Em 2021, a WIKO leva o desempenho da bateria mais longe com a nova gama Power U, incluindo os Power U10 e Power U20. Com um passo à frente na autonomia, o Power U30 é o primeiro smartphone desta gama a chegar a Portugal e dá-lhe a potência de que precisa para fazer mais!
 
BATERIA MASSIVA DE 6000MAH. AI POWER.
O tempo nunca espera e o Power U30 é uma potência comprovada de grande valor!
Com uma pontuação de autonomia DXOMARK de 98*, detém a posição #1 na classificação essencial dos smartphones DXOMARK para um desempenho impressionante em movimento. Com energia duradoura de 4 dias com apenas 1 carga, dispõe de AI Power para optimizar a bateria de 6000mAh. Esta tecnologia inteligente de poupança de energia vem integrada para controlar o comportamento de aplicações de terceiros e o consumo de energia, ao mesmo tempo que aumenta a vida útil da bateria. A bateria do Power U30 também apresenta um carregamento rápido de 15W para poupar tempo. Ainda mais conveniente, está equipado com USB tipo C.
 
* Resultados de medições efectuadas pela DXOMARK em maio de 2021, uma empresa independente especializada em testes de smartphones.

 
ECRÃ DE 6.8” HD+
Pensa na imersão impressionante com o vasto ecrã de 6,8’’, que oferece filmes vibrantes, jogos e redes sociais em grande plano, tudo a ganhar vida em resolução HD+. A forma em V no formato 20.5:9 oferece uma experiência sem fronteiras em vidro Panda durável, maximizando o espaço do ecrã.
 
MEMÓRIA INTERMINÁVEL E DESEMPENHO MELHORADO
Guarda e recorda os teus épicos e melhores momentos com 64/128GB de memória e a opção de expandir ainda mais o armazenamento com um cartão MicroSD de 256GB. Nenhum delay ou arrasto te abrandará com 4GB de RAM, assegurando um tempo de resposta mais rápido e um funcionamento mais suave em multitarefa e alternância entre aplicações. O processador Octacore MediaTek Helio G35 hyper engine 2.3GHz garante uma performance fluída e otimização de energia para melhorar a experiência de jogo.
 
CÂMARA TRIPLA COM AI
Grandes momentos são refletidos perfeitamente com a lente principal de 13MP da câmara tripla. A sua segunda lente de 2MP garante um efeito desfocado. Para uma abordagem mais inteligente à gestão da luz ambiente, a lente IA faz todo o trabalho! O seu sensor CMOS suporta a câmara principal utilizando a Deteção Automática de Cena, que é especialmente eficaz em condições de pouca luz. No lado oposto, grandes selfies são uma maravilha de capturar com a câmara frontal de 8MP.
 
FUNCIONALIDADES DE GOOGLE QUE POUPAM TEMPO
Faz mais em movimento com o botão dedicado do Assistente do Google. Gere facilmente tarefas e faz listas, mantém-te em contacto, obtém respostas e muito mais. Basta premir e segurar o botão do Assistente do Google para começar. Além disso, o Power U30 ajuda a tornar a experiência mais pessoal com o último lançamento do AndroidTM 11 da Google. Inclui poderosos controlos de dispositivos, formas mais fáceis de gerir conversas, configurações de privacidade e muito mais.
 
* Android é uma marca registada da Google LLC
 
USO DIÁRIO INTUITIVO
Desfruta da segurança a dobrar com desbloqueio inteligente! Apenas uma rápida digitalização da tua impressão digital desbloqueia instantaneamente o Power U30 para um acesso prático. O Desbloqueio Facial acrescenta outro nível de segurança, uma vez que apenas o teu rosto acede ao smartphone.
 
TEXTURA REFINADA
O Power U30 conta com um acabamento brilhante e luminoso, com um refinado efeito de gradiente, numa seleção de cores de Carbone Blue Mint.
 
 
Power U30
4 dias de utilização 6000mAh de bateria com AI Power
6.8” DE GRANDE ECRÃ
128+4GB MEMÓRIA
CÂMARA TRIPLA
 
O Power U30 está disponível em Portugal por um preço recomendado de 199 euros para a versão de 4GB/64GB. A versão de 4GB/128GB estará disponível a partir de agosto por um preço recomendado de 229,90€ e inclui uns auriculares WiBUDS Pocket.
Fica atento ao Power U30 bem como aos outros novos produtos anunciados este ano.