28/08/2016

28/08/2016

Samsung A3 2016 mostra o que vale


A Samsung tem nos Galaxy S a sua jóia da coroa, concentrando nestes equipamentos a quase totalidade dos seus recursos. A gama média há muito que deixou de ser prioritária e a gama de entrada quase que está esquecida. Há contudo muitos clientes a movimentarem-se nestas duas gamas, o que implica desde logo que a marca marque presença nas mesmas.

Em finais de 2014, a Samsung apresentou em Portugal o Galaxy Alpha, um smartphone que quebrava com o design dos Galaxy S e marcava o início da passagem da marca Sul-Coreana para o corpo em metal, que só viria a chegar à gama S com o Galaxy S6. O Galaxy Alpha ficou esquecido e acabou por não ter um sucessor directo. Só no final de 2014 é que a Samsung resolveu apostar na gama A, se bem que com uma estratégia localizada, não chegando alguns dos terminais a todas as regiões do Globo.

O Samsung A3 (2016) é portanto a segunda geração desta nova gama, que continua a apresentar um design alternativo face ao que é utilizado nos Galaxy S7.

Confesso que sou um apreciador do design desta série A, o qual me agrada mais que o utilizado na gama Galaxy S. Este A3 tem um corpo em metal com muito bons acabamentos, onde apenas a traseira em vidro acaba por destoar, mas esta parece ser uma linha que a Samsung se mostra pouco interessada em alterar (pelo menos até agora).

O ecrã AMOLED é a estrela do conjunto, tornando a visualização de conteúdos muito agradável. O restante hardware não consegue acompanhar a qualidade do ecrã, mostrando-se apenas capaz de cumprir os serviços mínimos obrigatórios. Em termos de actualizações, este Samsung A3 aguarda serenamente pela chegada do Android Marshmallow. Numa rápida visita ao Sammobile, pode verificar-se que esta versão ainda só está disponível em 3 países. Se tivermos em conta que o Android N chega no final deste mês, o cenário não é nada favorável para o Samsung A3.

Esta análise deve contudo ser feita tendo em conta o segmento em que este equipamento se insere, e neste caso, no computo geral, este terminal tem um comportamento que corresponde ao esperado. Há no entanto mais uma variável a considerar na avaliação deste smartphone, o preço. Este terminal encontra-se no mercado com um preço médio de 250€, sendo que na altura da sua chegada a Portugal, este valor estava acima dos 300€!

Convém recordar que estamos a falar de um equipamento que em termos de hardware se insere na gama média-baixa, a qual abarca equipamentos entre os 200 e os 250€. Ao colocar o smartphone no mercado com um valor substancialmente superior, a Samsung espera por certo que o seu nome consiga suportar esta diferença. Por esta razão, o Galaxy A3 (2016) acaba por sair algo penalizado na avaliação final, recebendo apenas um Morno, mas sem que isso impeça que o resultado pudesse ser um "Quente", para quem achar que o nome da marca Samsung seja suficiente para cobrir a diferença de preço.

Podem ler a análise na sua integra no AadM

0 comments:

Publicar um comentário