23/07/2018

23/07/2018

Relic Looter


Joguinho simpático, daqueles que dão para queimar alguns minutos ou mesmo horas dependendo dos gostos e disponibilidade, temos este Relic Looter da Istom Games Kft., um jogo de plataformas e também endless runner com uns gráficos incríveis.


O jogo arranca com o nosso herói explorador, uma cópia algo óbvia do Indiana Jones, a entrar numa caverna ou numa qualquer ruína escondida no coração da amazónia (ou outra floresta), e teremos de acompanhar a sua aventura na procura de relíquias preciosas (Indiana Jones, certo?).

O jogo tem uns controlos extremamente simples, naquilo que se pode dizer de mistura entre jogo de plataformas e endless runner, temos um botão do lado esquerdo que faz com que o nosso explorador avance no caminho que tem pela frente, e do lado direito um botão que permite saltar sobre obstáculos ou precipícios.


Há uma certa celeridade na aventura, pois o local onde nos encontramos é uma espécie de torre que se está a encher perigosamente de água, e como tal há que avançar e subir pela torre acima até chegar à saída, isto antes de ficar submersos porque senão afogamo-nos (o nosso herói não aprendeu a nadar, ou a água é ácida, culpa do aquecimento global, óbviamente).

O que me chamou à atenção do jogo foi a sua qualidade gráfica, com uma torre 3D carregada de perigos, animais que nos querem destruir, armadilhas que surgem do chão, do tecto e das paredes, tudo com animações impecáveis, e com efeitos sonoros e banda sonora a condizer.

Depois a jogabilidade é de facto muito boa. Podemos ir tocando nos botões pausadamente para jogar com cabeça e não morrer de imediato, ou podemos ser os maiores profissionais e manter o dedo sobre o botão para avançar a toda a velocidade torre acima. Os controlos são altamente responsivos e funcionam muito bem para nos manter agarrados e interessados no jogo.

Vamos passar toda a subida da torre atentos ao padrão de movimento dos picos que saem do chão, ao movimento das centopeias nas paredes, dos machados pendurados no tecto, etc, etc, para assim aprender como ultrapassá-los sem morrer.


Há checkpoints espalhados pela torre, pequenas bandeiras que nos possibilitam começar a partir desse lugar quando morremos, isto claro se aceitarmos visualizar um vídeo com publicidade. É o sistema do costume, mas não chateia nada demais, e já estamos habituados a estas coisas nos jogos freemium.

As moedas que vamos ganhando permitem-nos comprar novos chapéus para o nosso herói, e melhor de tudo a possibilidade de comprar alguns poderes antes de começar cada nível. Dar velocidade ao nosso herói é barato e podemos activar sempre que iniciamos (para quem já tem alguma prática, claro), mas os restantes devem ser activados apenas quando encontrarmos um nível mais difícil, pois permitem desarmar os picos que surgem do chão e das paredes, entre outras coisas que nos facilitam demasiado a nossa vida.

Em cada torre muda o tema, passando por coisas como torres completamente carregadas de gelo, onde as armadilhas também mudam de aspecto em conformidade com o tema, mas mantendo de certa forma a mesma mecânica das torres anteriores com temas diferentes. Seja como for, belíssimo jogo gratuito que temos agora disponível na Play Store. Não percam!



Por Bruno Ramalho

0 comments:

Publicar um comentário