05/09/2018

05/09/2018

Huawei e Honor fazem batota nos benchmarks porque... "os outros também fazem"


Os testes de benchmark são um dos aspectos tidos em conta na avaliação do desempenho de um equipamento. Não têm o mesmo peso que tinham há uns anos atrás, pois a evolução dos processadores, permite que hoje em dia se tenha um bom smartphone, com um cpu de gama média.


Aplicações como o GeekBench, AnTuTu, A1SD Bench e o GFXBench, permitem comparar directamente o desempenho de vários equipamentos, sendo por isso habitual a sua utilização nas análises aos smartphones e tablets.

Já por várias vezes fizemos referência ao facto de algumas marcas utilizarem técnicas menos correctas do ponto de vista ético,  para com isso obterem melhores resultados nos testes de desempenho. Segundo os dados agora revelados pelo AnandTech, a Huawei e a Honor estão a utilizar alterações de software, por forma a conseguir melhores resultados nos testes.



Ao detectar que uma destas apps de benchmark está a correr, o smartphone vai permitir que a aplicação tire o máximo partido da GPU, mesmo que para isso tenha de trabalhar acima dos intervalos de temperatura definidos.

Os responsáveis do AnandTech tiveram oportunidade de falar sobre este assunto com o Dr. Wang Chenglu, Presidente da área de Software do Huawei Consumer Business Group, tendo ficado claro que se trata de uma alteração de software.

O Dr. Wang considera que estes testes de desempenho não são a melhor forma de testar um smartphone, pois não correspondem à típica utilização no dia a dia. Segundo o mesmo, os testes de benchmark devem estar normalizados, permitindo avaliar a experiência de utilização do equipamento, área que para a Huawei, é a que realmente importa quantificar.

O facto de algumas marcas (especialmente na China) recorrem a este tipo de artifícios, levou a que a Huawei apresentasse uma resposta na mesma media. Este facto não foi expressamente referido, mas ficou subentendido nas declarações prestadas pelo responsável dá área de Software da Huawei.

Não é esta a postura que se exige a uma marca que quer ser o número 1 do mercado mobile. Quem lidera, tem de mostrar o caminho e não seguir outras marcas, especialmente as que utilizam práticas menos recomendáveis, para garantir a atenção dos consumidores.

O lado positivo desta questão, foi a reacção da Huawei, que se mostrou empenhada em garantir que os resultados de benchmark a serem divulgados em futuras apresentações, serão validados de antemão por entidades independentes. Esta sim, é uma medida que se saúda e naturalmente se espera que seja seguida por todas as marcas.

0 comments:

Publicar um comentário