02/04/2019

02/04/2019

Track IA da Huawei ajuda a diagnosticar sinais de deficiência visual nas crianças


A inteligência artificial e a tecnologia utilizada nos smartphones da Huawei, vão ser utilizadas em hospitais oftalmológicos a nível global, em parceria com institutos de oftalmologia.

A Huawei, em conjunto com a IIS Aragon e a DIVE Medical, desenvolveu o software Track Inteligência Artificial (AI), que permite realizar uma avaliação baseada em IA, detetar e diagnosticar sinais precoces de deficiências visuais nas crianças.

A Organização Mundial da Saúde estima que existam 19 milhões de crianças no mundo com deficiência visual, das quais 70 a 80% podem ser evitáveis ou curáveis. Existem vários tipos de deficiências visuais menos graves, que são facilmente evitadas, e que afetam atualmente 12,8 milhões de crianças. Na maioria dos casos, essas crianças permanecem sem diagnóstico durante anos, o que advém consequências mais sérias para a visão, para o seu desenvolvimento geral, podendo ainda prejudicar as oportunidades educativas e sociais.

“Nos últimos anos, comprometemo-nos a desenvolver uma ferramenta que avaliará a função visual em crianças pequenas e que permitirá identificar pessoas com deficiências visuais. Com a Huawei a apoiar e impulsionar o DIVE através da IA, podemos agora trabalhar para atingir esse objetivo. A nossa meta é implementar esta tecnologia globalmente e, com a nossa abordagem multiétnica, atender a todo tipo de deficiências visuais", disse Victoria Pueyo, oftalmologista pediátrica da DIVE Medical.

De forma a detetar deficiências visuais, o software DIVE (Dispositivos para um Exame Visual Integral) é executado no Matebook E para monitorizar e rastrear cada olho, enquanto o paciente está a observar estímulos projetados onde são testados diferentes aspetos da função visual. Os dados recolhidos sobre o padrão de olhar dos pacientes são processados no smartphone Huawei P30 que utiliza o algoritmo Huawei HiAI e que permite identificar possíveis indicadores de deficiência visual.

Com a tecnologia do Huawei P30 e o Huawei HiAI, a iniciativa Track IA cria um dispositivo fácil de utilizar, portátil e acessível para identificar este tipo de problemas nas crianças o mais rápido possível e a partir dos seis meses de idade. Em última análise, o objetivo é capacitar indivíduos sem qualquer tipo de treino para poderem ajudar a identificar crianças que possam ter deficiências visuais, com o intuito de ajudá-las a aceder rapidamente ao tratamento adequado.

“No passado, os smartphones não eram poderosos o suficiente para processar algoritmos complexos baseados em IA e os dados precisavam de ser enviados para a cloud para serem processados. A comunicação de e para a cloud torna o processamento de IA lento e inútil sem uma rede. A nova tecnologia Track IA combina o que há de melhor na máquina da Huawei e na tecnologia de processamento de IA num dispositivo com pesquisas e perceções concretas da IIS Aragon e da DIVE Medical”, sublinha Peter Gauden, especialista em tecnologia da Huawei.


“O software Track IA é parte de um dos grandes compromissos da Huawei em ultrapassar os limites do que é humanamente possível e utilizar a IA para obter o melhor. O nosso objetivo para este projeto é possibilitar que pais e médicos em todos os cantos do mundo detetem deficiências visuais de maneira mais rápida, fácil e eficiente por meio da tecnologia da IA”, acrescenta Peter Gauden.

Como funciona o software DIVE?
As crianças com deficiência visual têm diferentes padrões de olhar em comparação com as crianças com uma visão normal. O DIVE pode recolher com precisão dados sobre a posição do olhar durante um estímulo visual projetado cientificamente. Interpretar esses dados pode ser um desafio para os profissionais de saúde não especializados. Recorrendo à IA os computadores podem ser treinados para identificar padrões de olhar anormais para exames mais fáceis que possibilitam acelerar o processo de diagnóstico para se poder gerir melhor a condição.

O Track IA baseia-se nos recursos do TensorFlow, uma plataforma de código aberto, e no Huawei HiAI do Google para criar um sistema de aprendizagem no smartphone que utiliza o  revolucionário chip Kirin 980, com uma potência de processamento de inteligência artificial que elucida o futuro da IA nos smartphones.

Com duas Unidades de Processamento Neural (Dual NPU) dentro do Kirin 980 que suportam IA no dispositivo, as funções IA são processadas no próprio smartphone, acelerando significativamente e preservando a privacidade do utilizador. Esta Dual NPU ajuda também a tornar os recursos IA do smartphone mais inteligentes ao longo do tempo, além de aumentar o seu desempenho e eficiência.

O Track IA do smartphone é portátil, não requer WI-FI e recebe dados em tempo real para acelerar os diagnósticos. Os recursos sem precedentes do smartphone da Huawei permitem que a Track IA seja usada em todo o mundo, desde um oftalmologista num hospital do Reino Unido a um médico numa aldeia localizada numa área remota de África.

Desenvolver um sistema baseado em IA requer a recolha de dados de milhares de crianças, que estão a ser recolhidos pelos centros de pesquisa em cinco países de três continentes diferentes (China, México, Emirados Árabes Unidos, Espanha e Reino Unido). Uma vez que um aglomerado de dados tenha sido agregado, as redes neurais são treinadas e um protótipo será testado ainda este ano, com planos de implementação em 2020, ajudando os profissionais de saúde a diagnosticar e a tratar precocemente as condições da visão.

0 comments:

Publicar um comentário