01/02/2017

01/02/2017

Quando o Youtube serve de "cama" à pornografia


Manter um site de streaming de vídeos pirata ou pornográficos não é fácil nem fica barato, daí que muitos responsáveis por este tipo de conteúdos esteja a optar por uma táctica mais simples e económica: colocar tudo no YouTube.


Obviamente que o YouTube não permite estes conteúdos no seu site, mas estes senhores arranjaram forma de contornar o problema mantendo os vídeos como "privados", o que impede que alguém dê com eles de forma acidental (sem terem o link específico), mas continua a permitir que o vídeo seja integrado em páginas externas.

Sem os vídeos publicamente acessíveis, torna-se muito mais complicado detectar a presença de conteúdos impróprios/ilegais, permitindo que esses sites os exibam durante dias, semanas, meses, tirando proveito dos mesmos sem qualquer custo com alojamento ou a largura de banda. E, quando um dos seus vídeos for detectado e bloqueado, basta repetir o processo para prolongarem o funcionamento durante mais um tempo, e assim sucessivamente.

Muitos sites de streaming pirata nem sequer tentam esconder onde os seus vídeos estão alojados, referindo directamente que várias fontes do vídeo estão no googlevideo.com que para além do YouTube também pode alojar vídeos colocados no Google Drive e também partilhados de forma "privada".

Por agora o YouTube (e a Google) parecem não estar muito preocupados com este tipo de abusos... mas é de esperar que, caso alguma vez fiquem, as medidas implementadas irão certamente também penalizar alguns (muitos?) dos utilizadores que usam o serviço legitimamente.

Publicado originalmente no AadM

0 comments:

Publicar um comentário