25/04/2017

25/04/2017

Nexus enfrentam tribunal devido a problemas no arranque.


Ter um Nexus 6P que fica eternamente no processo de boot, parece ser algo que afecta cada vez mais utilizadores, ao ponto de nos EUA já se ter instaurado um processo que alega tratar-se de um problema de fabrico.


Investir muitas centenas de euros num smartphone topo de gama para descobrir que, menos de dois anos depois, o mesmo se pode tornar um pisa-papéis, não é muito agradável. No entanto é que parece estar a crescer a um número crescente de modelos que incluem muitos topos de gama da LG, e que agora se expande também aos Nexus 6P.

São muitos os possuidores deste topo de gama que se deparam com um ciclo infinito de boot que parece ser causado por falhas de hardware derivadas de defeito de fabrico, e que também podem manifestar-se com outros sintomas, como um desempenho excessivamente lento, ou um consumo de bateria anormalmente elevado. O processo refere também que nem a Google nem a Huawei (que fabricou estes Nexus) reconhecem oficialmente a existência de problemas "congénitos", e que muitas vezes nem sequer aceitam fazer a reparação ao abrigo da garantia.

A LG também enfrenta um processo idêntico referente aos G4, G5, V10, V20, e Nexus 5X; e também temos o famoso caso dos Nexus 7 fabricados pela Asus, e cujas memórias flash passavam a ter velocidades de caracol ao fim de cerca de um ano de utilização. Mesmo sabendo-se que de ano a ano vão saindo modelos melhores, seria conveniente que os utilizadores tivessem confiança de que os seus smartphones continuariam a funcionar durante 3 ou 4 anos sem problemas... ainda mais quando não estamos a falar de smartphones chineses de baixo custo, mas sim de topos-de-gama que custaram muitas centenas de euros.

Publicado originalmente no AadM

0 comments:

Publicar um comentário