08/05/2017

08/05/2017

Google Cloud Next London



O Google Cloud Next London que decorreu recentemente nesta cidade, foi palco de muitas conversas sobre a nuvem, com executivos, programadores e gestores de TI a trocarem informações sobre este tema. Sebastien Marotte, Vice President, EMEA Google Cloud, fala-nos sobre o que de mais importante se passou neste evento.


Há seis anos, começámos o negócio da Google Cloud na Europa e tem sido uma viagem verdadeiramente incrível. Temos tido o privilégio de estabelecer parcerias com as organizações globais mais icónicas à medida que os seus negócios se transformam. Companhias como a Airbus, Spotify e Philips escolheram a Google Cloud para as apoiar nas suas viagens para a nuvem. À medida que o evento decorrer, vamos partilhar algumas histórias de empresas que estão a utilizar a Google Cloud para servir os seus clientes. 



Modernizar a banca com o cloud computing, gestão de dados e machine learning 

O HSBC é uma instituição financeira global com 150 anos e com mais de 4.000 escritórios em mais de 70 países. É detentora de mais de $850 mil milhões de ativos ponderados pelo risco e detém uma posição central na finança mundial. Devido à natureza fortemente regulada do sector bancário e aos riscos contínuos de segurança, o HSBC está a trabalhar em estreita colaboração com a Google Cloud para garantir que os seus rigorosos padrões de segurança são respeitados e continuamente avaliados.  

O Banco identificou vários casos de utilização nos quais os serviços de gestão de informação e de machine learning na Cloud poderiam melhorar o seu negócio. Um dos exemplos envolve trabalhar com governos e entidades policiais para identificar actividades criminosas, tais como, lavagem de dinheiro. Monitorizar mais de mil milhões de transacções para identificar padrões de comportamento fraudulento é um caso perfeito para demonstrar o poder da computação e do machine learning. Outro dos exemplos são os relatórios de Análise de Riscos, onde o banco deve agir de acordo com as novas exigências dos relatórios e lidar com quantidades cada vez maiores de informação de modo a poder realizar uma análise de crédito e de risco mais assertivas. 

Foram precisos 130 anos para o banco precisar de começar a medir a informação em terabytes mas apenas alguns anos para chegar aos 15 petabytes - e espera acrescentar mais cinco petabytes no decorrer deste ano. Tais como muitas grandes empresas com fortes departamentos de TI, o HSBC começou por gerir a sua enorme quantidade de dados utilizando tecnologias como a infraestrutura Hadoop. "A bem da verdade, achámos que a adopção desta tecnologia era altamente desafiadora", afirma David Knott, chief architect no HSBC. O que significava que o banco tinha menos tempo disponível para obter valor e conhecimento a partir dos seus dados. Ao invés disso, o HSBC está a trabalhar com o sistema de gestão de dados da plataforma Google Cloud para reduzir a complexidade e o custo da gestão desta informação. 




Outra das vantagens de fazer negócios na Cloud é o facto de existir uma atitude de governança, de segurança e regulatória reforçadas. Não existe melhor exemplo destas vantagens do que o sector bancário estar a adoptar a Cloud, onde a segurança é fundamental para o negócio. "Temos que reconhecer que vivemos num mundo onde as ameaças à segurança são uma constante...Estamos a avaliar, de forma contínua, cada uma das soluções e sabemos que precisamos de estar sempre um passo à frente", afirma Knott. 

Aumentar a velocidade do retalho em escala com código aberto e um desenvolvimento ágil

A marca britânica de cosméticos Lush migrou o seu site de e-commerce para a Plataforma Google Cloud (GCP) como parte de uma iniciativa mais ampla de adopção do software em código aberto em toda a organização. A plataforma Google Cloud tem um papel de destaque entre os principais fornecedores Cloud pelo seu suporte ao código aberto e com um elevado envolvimento com a comunidade.

A Lush também detinha grandes objectivos para melhorar a agilidade do seu negócio e em escala. Durante o Boxing Day, o dia a seguir ao Natal no Reino Unido, a empresa regista picos de tráfego significativos e de forma regular assistia a dezenas de milhar de transacções em apenas um dia. Contudo, a falta de escalabilidade com o seu antigo fornecedor de serviços de Cloud significava que a empresa perdia vendas. A Lush teve de migrar e teve de o fazer rapidamente. 

Iniciando o processo no passado mês de Setembro, a Lush e os seus parceiros levaram apenas 22 dias para migrar toda a plataforma de e-commerce para que tudo estivesse operacional no período movimentado - "Esse era o Plano A, não existia margem para o Plano B". afirma Ryan Kerry, Global Head of Engineering and Technology na Lush. Actualmente, a Lush confia na infraestrutura Google Cloud para o seu negocio em escala. 

Processar e editar vídeo em escala com machine learning 

A Seenit.io, uma empresa de vídeo colaborativo foi seleccionada para participar na nossa API Video Alpha utilizando o Machine Learning para processar e editar vídeos em escala. A Seenit é uma start-up em grande crescimento que duplicou a sua taxa de execução desde Dezembro de 2016. A Seenit envolveu-se com a Google Cloud na fase de Trusted Tester - implementando as nossas APIs de machine learning no seu próprio fluxo e depois desenvolveu o seu próprio produto em cima disso. Para esta empresa, esta é uma vantagem competitiva pois consegue chegar ao mercado mais rapidamente do que os seus concorrentes e apresentando funcionalidades de ponta testadas e consolidadas. 



"A qualidade dos resultados, é o que define o nosso sucesso, e a qualidade da informação que obtemos das APIs da Google significa que os resultados de pesquisa são imediatamente muito relevantes para o que as pessoas necessitam. Eu corro benchmarks na AWS, Azure e Plataforma Google Cloud. No nosso caso, a rede da Plataforma Google Cloud e a velocidade do disco foram até duas vezes mais rápidas" afirma Dave Starling, Seenit’s CTO. 

A Seenit.io e a Lush também adoptaram as apps de produtividade da G Suite permitindo aos seus funcionários trabalharem de forma colaborativa a partir de qualquer local do mundo.

Porque estão as empresas a escolher a Google Cloud?

Para o HSBC, Lush e Seenit, o histórico da Google no desenvolvimento de uma infraestrutura segura em todo o mundo foi uma consideração importante na sua mudança para a Google Cloud. Desde data centers eficientes em termos energéticos, passando por servidores e redes personalizadas, software global até ASICs especializados para machine learning, a Google tem estado a trabalhar e a viver na cloud em escala há mais de 15 anos - E trazemos isto para a Google Cloud. 

No Google Cloud Next London, além de diversas sessões, os visitantes poderão ver em acção alguns dos nossos produtos direccionados para a Cloud. 

0 comments:

Publicar um comentário