28/04/2018

28/04/2018

Huawei investiu um SO para mobile para o caso de não poder utilizar o Android


Android e iOS dominam o mercado mobile, não deixando margem para que outras soluções consigam sobreviver. A Microsoft perdeu o comboio do Windows Mobile e nunca mais foi capaz de recuperar o terreno perdido. A Nokia não acordou a tempo e o seu fantástico Symbian, acabou por sucumbir aos pés das soluções que a Google e a Apple desenvolveram.


 O Tyzen foi a aposta da Samsung, tendo inclusivamente chegado aos smartphones, mas não obteve qualquer expressão, acabando por ficar reservado para os smartwatches e smart TV, constituindo-se como um plano de backup, caso tal venha a ser necessário.

A Huawei por seu turno optou pelo Android, tendo rapidamente deixado o Windows Mobile de lado. Não lhe eram conhecidas actividades relacionadas com o desenvolvimento de um sistema operativo para ser utilizado em smartphones e tablets, mas segundo os dados agora vindos a público, a marca chinesa terá começado a trabalhar neste assunto em 2012, depois de uma investigação dos EUA à ZTE.


Um SO próprio como investimento estratégico


O plano foi elaborado pelo Sr. Ren Zhengfei, fundador da Huawei e a marca nunca terá deixado de trabalhar neste projecto, sendo o mesmo visto como um investimento estratégico para salvaguardar cenários catastróficos. O sistema operativo destina-se a smartphones e PCs, pois pretende ser uma alternativa para o caso da marca não poder utilizar o Android ou o Windows 8 (versão disponível à altura das declarações). Este sistema operativo nunca terá sido lançado por não estar ao nível do Android e sobretudo, por não dispor dos milhões de jogos e aplicações que este último disponibiliza.

Segundo Zhao Ming, presidente da Honor, ter um sistema operativo próprio "é uma questão de capacidade e necessidade ... A Huawei será garantidamente capaz de o fazer, mas de momento não considero necessário que o faça, pois trabalhamos em parceria com a Google e continuaremos a utilizar o Android"

Não colocando em questão a existência do sistema operativo, a grande questão é se este permitirá o acesso aos serviços da Google, pois esta será a questão primordial em todo este processo. Caso tal não seja possível, o fim do SO não deverá ser diferente do que tiverem outros sistema operativos para equipamentos móveis. A acontecer, será por certo o fim da aventura da Huawei no mercado dos smartphones, pelo menos como hoje os conhecemos.

0 comments:

Publicar um comentário