15/10/2018

15/10/2018

Análise ao Mate 10 Pro depois de um ano de utilização intensiva


Amanhã vamos estar em Londres, para vos dar a conhecer todas as novidades sobre o Mate 20 Pro da Huawei,  o primeiro smartphone a ser lançado com o Kirin 980, processador em que a marca chinesa deposita elevadas expectativas. É portanto uma boa altura para analisarmos o Mate 10 Pro, o qual tivemos a possibilidade de utilizar ao longo do último ano.


O Mate 10 Pro

O Mate 10 Pro tem um processador Kirin 970. com uma Unidade de Processamento Neural (NPU), criada para o processamento local dos dados, relativos aos cálculos dos processos de inteligência artificial. A tecnologia de fabrico com 10nm e a GPU MALI G72MP12, foram outras das novidades, com a primeira a possibilitar um menor consumo energético e a segunda, a disponibilizar um melhor desempenho na parte gráfica.

Tem 6GB de RAM e uns sempre interessantes 128GB para armazenamento, que para a maioria dos utilizadores serão suficientes para fazer esquecer a ausência do slot para o cartão MicroSD. O ecrã de 5,99", apresenta uma resolução FullHD+ com 1080x2160 pixels, certificação HDR10 e brilho de 730nits, especificações que permitiram uma boa visualização em zonas com luz solar directa.

As câmaras foram mais uma vez desenvolvidas em estreita colaboração com a Leica. As lentes Summilux-H, têm ambas uma abertura f/1.6, com um sensor monocromático com 20MP e um RGB de 12MP, com estabilização de imagem (OIS).

A bateria de 4000mAh, suporta carregamento rápido, apresentando um elevado nível de desempenho, tanto em autonomia, como em termos de tempo de carregamento, com o Super Charge a conseguir superar o desempenho das soluções disponibilizadas por outras marcas.

Corre Android 8 Oreo, com a interface EMUI 8, estando ainda a aguardar a actualização para o Android 9 Pie/EMUI 9.

Uma das bandeiras da Huawei, estava na capacidade de o smartphone aprender com o utilizador, por forma a conseguir antecipar aquilo que este vai fazer a seguir. Ao saber qual a próxima acção, a gestão de recursos é feita de forma optimizada, alocando os mesmos no momento certo, conseguindo ganhos energéticos e um tempo de resposta mais rápido.

De facto, um ano mais tarde, o Mate 10 continua a apresentar um desempenho de elevado nível,  não sendo perceptível qualquer atraso no seu comportamento global, o que acaba por confirmar as expectativas avançadas pela marca.

Problemas inesperados



Numa das várias actualizações que o smartphone recebeu, começaram a ocorrer bloqueios de forma aparentemente aleatória. Depois de alguma pesquisa na Internet, cheguei à conclusão que o problema estava relacionado com a funcionalidade "always on" do ecrã. Desactivando a mesma, os bloqueios deixaram de ocorrer.

Apesar de ser uma funcionalidade bastante útil, confesso que me esqueci de verificar se o problema já tinha sido resolvido. Só alguns meses mais tarde é que me lembrei desta situação e pude constatar que já era novamente possível utilizar o ecrã "always on".

O processo de aprendizagem, acabou assim por ter um aspecto menos positivo, pois se o smartphone estava a aprender com os meus hábitos de utilização, um reset de fábrica acabava por não ser recomendável. Este é o procedimento mais habitual para se resolver algumas situações inesperadas que por vezes acontecem, como foi o caso com o o ecrã "always on" deste Mate 10 Pro.

A gestão da ligação Wi-Fi é outro aspecto que tem causado algum incómodo. O Mate 10 Pro tem a capacidade de aprender onde é que o utilizador se liga a uma rede sem fios. No meu caso pessoal, praticamente só utilizo o Wi-Fi em casa, por isso considero está funcionalidade muito prática. Mal saio para a rua, o Wi-Fi é desligado. Quando chego ao trabalho ligo o meu router com a ligação de banda larga, mas o smartphone continua só com dados móveis (Yorn X FTW).

Recentemente, reparei que o smartphone começou a apresentar um comportamento inesperado, ligando o Wi-Fi ao chegar ao trabalho e quando chegava a casa, não ligava o mesmo automaticamente. Actualmente, já voltou a ligar-se à rede wireless ao chegar a casa, mas ainda continua a ligar-se à rede da banda larga no meu local de trabalho, algo que espero que em breve deixe de acontecer, graças à capacidade de (re)aprendizagem da EMUI.


Actualizações e novas funcionalidades

Em termos de actualizações, a Huawei tem vindo a melhorar o seu desempenho. Essential, OnePlus e Sony já disponibilizaram o novo Android 9 Pie para os seus topo de gama, mas no caso deste Mate 10 Pro, temos apenas a decorrer uma fase de testes, não havendo ainda uma previsão para a disponibilização do update.



Ao longo do último ano, a Huawei tem vindo a cumprir o compromisso assumido no lançamento do smartphone, disponibilizando patch de segurança actualizados, assim como novas funcionalidades: desbloqueio através do reconhecimento da face, fotografia em ambientes com pouca luz e o GPU Turbo,  três das melhorias que chegaram à EMUI do Mate 10 Pro.

Utilizo o desbloqueio com reconhecimento da face, em conjunto com o sensor de impressão digital, pelo que muitas vezes já tenho o dedo neste último, o que acaba por funcionar primeiro que o reconhecimento facial. Quando o smartphone está sobre uma superfície, o reconhecimento da face torna-se mais útil, pois a detecção de movimento faz activar o equipamento, que por sua vez inicia a detecção da face do utilizador, de forma rápida e eficiente, mesmo em ambientes com pouca luz.




No que diz respeito ao modo nocturno, não detectei grandes melhorias na qualidade das fotografias. O resultado obtido está distante do conseguido com o Huawei P20 Pro, onde as suas câmaras conseguem marcar a diferença.

O modo GPU Turbo foi alvo de um grande destaque por parte da marca, que anunciou melhorias de até 60% no desempenho e simultaneamente, um consumo 30% inferior. O Mate 10 Pro foi (como não poderia deixar de ser) um dos equipamentos seleccionados para receber esta funcionalidade. O leque de aplicações suportadas de origem é bastante limitado, mas a EMUI permite que o utilizador adicione outros títulos, para que se possa tirar partido desta tecnologia.

Na análise que publicámos a este Mate 10 Pro, fizemos referência à ausência de tratamento oleofóbico. A Huawei, como de resto lhe tem sido habitual, apostou num protector para evitar riscos indesejados, contudo o material deste "extra", era claramente inferior ao que a marca tem vindo a disponibilizar.



Curiosamente, este protector que rapidamente começou a apresentar riscos, foi capaz de manter a integridade do ecrã numa situação totalmente inesperada. Na imagem em cima, podem ver uma zona com um rasgo. Tinha estado a tirar umas fotos a outros equipamentos com o Mate 10 Pro e quando me deslocava para casa, escorregou-me algo que trazia na mão onde também estava ao smartphone. Na tentativa de agarrar o que estava a cair (já não me recordo o que era) acabei por bater com a ponta de uma chave de fendas directamente no ecrã.

Refeito do susto e ainda a pensar na estupidez que tinha acabado de cometer, lembrei-me da inferior qualidade do protector e do útil que teria sido uma protecção mais resistente. Pois bem, pode não resistir a pequenos riscos, mas o que é certo é que ajudou a que o impacto no ecrã fosse menor. A resistência deste (ecrã) ficou assim (inadvertidamente) comprovada.


Apreciação final



Um ano após a sua apresentação oficial, o Mate 10 Pro continua a ser um smartphone de eleição, apresentado um desempenho de qualidade a todos os níveis. É certo que teve alguns problemas de software, a maioria dos quais já resolvidos (ou prestes a o serem) e qualidade das câmaras foi superada pelo P20 Pro, algo que também seria expectável, dado ser esta a aposta preferencial da marca: novo cpu Kirin com a série Mate, novas câmaras na série P.

Este smartphone mantém uma excelente autonomia, conseguindo nos cenários mais exigentes, chegar com mais de 20% de bateria ao fim do dia. A inteligência artificial está cada vez mais presente, antecipando as acções do utilizador, ao mesmo tempo que ajusta os parâmetros da câmara, facilitando a captura das fotografias.

O Mate 10 Pro continua a ser uma boa aposta, para quem procura um equipamento de qualidade. Tendo em conta que amanhã vai ficar a conhecer o ser sucessor, é bem possível que em breve se encontre por preços mais em conta, sendo por isso uma opção a terem em conta.

0 comments:

Publicar um comentário