06/02/2019

06/02/2019

Análise ao Devolo Magic 2


O recurso ao powerline é uma das formas mais simples para expandir uma rede em locais sem infraestrutura de rede montada, e hoje vamos ver que tal se comporta a mais recente geração Magic 2 da Devolo.


Nos dias de hoje é impossível viver sem WiFi, e uma casa sem cobertura Wi-Fi adequada depressa se revela uma verdadeira dor de cabeça. Se em casas com instalação de rede se torna mais fácil adicionar hotspots onde forem necessários, nas casas que não a têm há que recorrer a meios alternativos, e os adaptadores powerline - que utilizam a rede eléctrica como canal de comunicação - são umas das opções mais comuns.

Um pouco de história


A Devolo é uma das marcas que se dedica ao desenvolvimento dos adaptadores powerline, sendo este o seu principal negócio. Os seus PLC 1200 cedo conseguiram dominar o sector, com a concorrência a levar alguns anos até conseguir colocar no mercado produtos com o mesmo nível de desempenho que a Devolo disponibilizava. A Devolo ainda conseguiu espremer os PLC 1200 através da actualização do firmware, mas o produto acabou por estagnar, fruto das limitações da tecnologia utilizada nos adaptadores powerline.

A solução para um melhor desempenho, passava obrigatoriamente pelo desenvolvimento de uma nova tecnologia. Foi precisamente isso que Devolo acabou por fazer, num processo que deu origem aos novos adaptadores Devolo Magic.


Devolo Magic - o powerline reinventado


Exteriormente, não há diferenças notórias entre as duas gerações dos adaptadores PLC Devolo. A grande alteração está no interior, com os Magic 2 a apresentarem uma nova tecnologia para transmitir o sinal pela rede eléctrica. Estes módulos integram um chip de nova geração, baseado na arquitectura G.hn de segunda geração, para comunicações powerline mais rápidas e fiáveis, podendo atingir velocidades de até 2400Mbps entre os equipamentos PLC.

A nova arquitectura G.hn tem contudo um ponto menos positivo. Para garantir as melhorias acima referidas, os novos módulos não são compatíveis com os anteriores. Caso tenham adaptadores PLC da geração anterior e instalem os novos Magic, irão ficar com duas redes independentes, não havendo comunicação entre as mesmas. Sendo uma situação possível de manter (já testámos e funciona), não é contudo recomendada pela marca, devido às perdas de desempenho que acarreta quando as duas redes forem utilizadas em simultâneo.

O desempenho melhorado não é a única novidade, com os Devolo Magic a poderem apresentar uma nova tecnologia. Os adaptadores PLC com WiFi incorporado passam a suportar a topologia mesh, que segundo a marca, disponibilizando uma ligação WiFi mais rápida, estável e com maior alcance.

Para conseguir este objectivo, a Devolo recorreu a três tecnologias:
  • Airtime Fairness - prioridade às ligações WiFi ac, com os clientes mais lentos a não bloquearem a rede;
  • Bandsteering - os adaptadores fornecem a cada cliente o melhor canal e frequência disponível no momento;
  • Fast Roaming - quando em movimento, o cliente vai ligar-se automaticamente ao adaptador com melhor sinal disponível, sem interrupções nas comunicações.
Com estes novos módulos PLC, o utilizador por andar tranquilamente pela casa, tendo sempre a garantia que o smartphone vai estar ligado à rede que oferecer as melhores condições de acesso no momento.




Os módulos Wi-Fi estão disponíveis como adaptadores isolados (1 adaptador), starter kits (2 adaptadores) e multiroom kits (3 adaptadores). Os modelos LAN têm como opção o adaptador isolado, ou Starter Kit.



Em termos de design, quando comparados com os módulos 1200WiFi, os novos Magic 1 e Magic 2 não apresentam diferenças significativas. Aquela que é uma imagem de marca dos produtos PLC Devolo continua a estar disponível, com os módulos a apresentarem uma tomada passthrough incorporada, o que permite ligar outros equipamentos à mesma tomada onde o adaptador PLC for instalado. A grande diferença está no botão para iniciar a sincronização, que nos novos adaptadores Magic 1 e Magic 2 deixa de estar disponível, passando a ser feita de forma automática.




Em funcionamento


A Devolo enviou-nos para testes os módulos Magic 2, tendo os testes de configuração e desempenho sido efectuados com estes novos módulos, capazes de velocidades mais rápidas que os Magic 1 (2400 vs 1200Mbps). Ao ligarem o módulo base, terão 3 minutos para ligar os satélites. Para simplificar a tarefa, podem em alternativa ligar primeiro os satélites e só depois a base, visto que será esta a dar início ao processo de sincronização dos módulos PLC.



Dependendo de como pretenderem montar a rede com os módulos PLC, pode dar-se o caso de ser mais interessante apostarem em adaptadores WiFi em detrimento dos modelos LAN. Além de ganharem a funcionalidade WiFi, passarão também a contar com mais uma porta Ethernet que poderá ser utilizada para ligar outros equipamentos à rede.

Software


Para a configuração dos módulos PLC e gestão da rede disponibilizada pelos mesmos, continuamos a contar com o já conhecido Devolo Cockpit para os PCs (imagens em baixo). Para os smartphones, a Devolo lançou recentemente uma nova aplicação, a Home Network.



No ecrã de entrada, a app apresenta um grafismo com os módulos instalados, assinalando a base (ligada à internet) e os satélites. À esquerda, em cima, um ícone que dá acesso ao menu de atalhos para as diferentes funcionalidades. A configuração da rede permite atribuir uma designação a cada um dos adaptadores que tiverem instalados, por forma a melhor identificarem os mesmos. Nas definições do WiFi, podem seleccionar o nome da rede que desejam replicar e respectiva password. No ecrã principal, se tocarem no ícone dos adaptadores, a app dá acesso à pagina de configuração do equipamento, a mesma que está disponível através do browser. Para quem não sabe os endereços IP do módulos, esta será um forma simples e prática de gerir cada um deles.



Desempenho


Na geração anterior, entre a base e o adaptador mais próximo desta, conseguíamos velocidades de transferência um pouco superiores às disponibilizadas por uma rede ethernet de 100Mbps. No caso dos adaptadores mais afastados, a velocidade baixa consideravelmente, muitas vezes para valores na casa dos 20-50Mbps (valores que estarão também dependentes da qualidade da instalação da rede eléctrica).

Com a passagem para um máximo teórico de 2400Mbps entre adaptadores, era esperado assistirmos a um incremento nas velocidades de transferência disponibilizada pelos novos módulos PLC da Devolo. Para avaliar o desempenho dos adaptadores Magic 2, recorremos ao habitual layout de testes, com um adaptador a ficar no rés-do-chão, numa zona central da casa e um segundo adaptador, no primeiro andar numa das extremidades da casa. Com este cenário, pretendeu-se simular um cenário real e não avaliar a máxima velocidade de transferência em condições óptimas.



Os valores registados no speedtest, andavam à volta dos 100Mbps, isto numa ligação com 200Mbps disponíveis. Este valor era semelhante ao disponibilizado pelos PLC Devolo 1200, pelo que os resultados ficavam muito aquém do esperado. Contactámos o representante da marca, que nos informou sobre a chegada para breve de um novo firmware, que teria como um dos objectivos melhorar as velocidades de transferência. Instalado o novo firmware, procedemos a novos testes, mas os resultados não apresentaram melhorias, algo verdadeiramente estranho. Tudo funcionava correctamente, mas a uma velocidade abaixo do esperado.

Com a chegada da app para Android (disponibilizada recentemente), efectuamos algumas capturas de ecrã para apresentar as principais funcionalidades da aplicação. Numa destas imagens, saltaram à vista os 100Mbps da porta onde esta ligado o cabo que leva o sinal do router - algo que não deveria acontecer, pois tanto o cabo como os dois equipamentos cumprem as especificações necessárias para uma ligação a 1000Mbps.

Depois de uma breve análise à rede, trocaram-se os cabos que ligam o modem ao router e este ao PLC. Com isto, passamos finalmente a ter uma ligação gigabit entre o modem, router e o PLC. Um incidentepara o qual não temos explicação, visto o cabo ser exactamente igual e atravessar a mesma tubagem, mas o importante é que ficou a funcionar como era suposto.




Posto isto, realizamos novo teste do speedtest e eis que a velocidade de transferência passou para uns mais interessantes 208Mbps, o máximo que a ligação de internet disponibilizava. Assim sendo, tornou-se necessário efectuar um teste diferente, que levasse a capacidade da ligação mais além. Para isso foi utilizado um PC com porta ethernet Gigabit, um portátil com ligação WiFi ac, um NAS Synology e um NAS Terra-Master.

A título de referência, no mesmo cenário de utilização, a geração anterior disponibilizava uma velocidade média de 15,5MB/s, tendo este valor subido um pouco, com uma actualização de firmware disponibilizada pela Devolo.




O adaptador instalado no rés-do-chão, sincroniza com os do andar de cima a velocidades acima dos 1000Mbps para o adaptador mais próximo, ficando-se pelos 500Mbps para o adaptador mais afastado. A velocidade de sincronia depende dos equipamentos que tiverem ligados na altura e, como referido anteriormente, será afectada negativamente, caso tenham outros PLC de geração anterior a funcionar ao mesmo tempo.



A cópia de um ficheiro entre o NAS Synology (instalado no rés-do-chão) para o PC que estava no primeiro andar, efectuou-se a uma velocidade máxima de 31MB/s, com a média a ficar-se pelos 23MB/s.



Havia agora que testar a ligação entre dois módulos PLC instalados no mesmo andar, em zonas opostas da casa. Para isso, instalou-se um terceiro adaptador, ao qual foi ligado o NAS da Terra Master. No caso destes dois adaptadores, a velocidade de sincronização subiu um pouco, chegando a atingir os 1300Mpbs (1102Mbps na imagem).



No caso da cópia de um ficheiro entre o NAS Terra Master e o PC, obtivemos uma velocidade máxima de 35MB/s, com a média a situar-se nos 28MB/s.



O mesmo ficheiro disponível no NAS Terra Master, foi copiado para o portátil via WiFi, com a velocidade máxima de transferência a atingir igualmente os 35MB/S. Curiosamente, a velocidade média subiu um pouco, para os 29MB/s.




Apreciação final


Há muito que se esperava pela evolução do powerline. A Devolo, marca que nos habituou a estar na linha da frente em termos de tecnologia PLC, não desiludiu com o lançamento dos novos produtos Magic 2, bem pelo contrário. É certo que continuamos a ter valores distantes daquilo que uma rede ethernet gigabit pode permitir, mas para quem não possa ou não queira instalar nova cablagem, o powerline continua a ser uma opção a ter em conta.

Os novos módulos PLC pulverizam os resultados dos equipamentos de primeira geração, disponibilizando um incremento de velocidade na casa dos 100%, algo que é verdadeiramente notável. Há ainda que contar com a melhoria da velocidade de transferência entre satélites, ao que se juntam as vantagens de uma rede Mesh WiFi.

O aspecto menos positivo é o preço, com o modelo LAN a começar nos 80€ e o WiFi nos 130€. O preço dos Kit acaba por compensar face ao modelo individual, mas o peso na carteira é significativo. A isto acresce o facto destes novos Devolo Magic não serem compatíveis com os modelos anteriores, tornando-os pouco apetecíveis para quem já tiver desses modelos.

Para um primeiro produto desta segunda geração de adaptadores powerline, os novos Magic 2 passaram no teste com distinção. Atendendo ao historial da marca, é bem provável que a Devolo continue a trabalhar no desenvolvimento e melhoria destes módulos, o que irá incrementar o nível de desempenho do produto, já de si bastante bom.

Pelas razões acima apresentadas, os powerline Devolo continuam a merecer o nosso ESCALDANTE.




Devolo Magic 2
Escaldante



Prós

  • Desempenho Global
  • Velocidade de transferência entre módulos
  • Tecnologia WiFi Mesh

Contras
  • Preço
  • Não compatível com modelos anteriores


0 comments:

Publicar um comentário