06/12/2019

06/12/2019

Huawei contorna bloqueio dos EUA: Mate 30 não tem componentes de empresas Americanas


Relembrando que as penalizações aplicadas à Huawei não funcionam apenas em sentido único, a série Mate 30 do fabricante chinês já dispensa a utilização de componentes norte-americanos.


Os EUA colocaram a Huawei na lista-negra, proibindo o seu acesso a tecnologia dos EUA, cujo impacto prático mais imediato é o de impedir que a família Mate 30 tenha acesso às apps da Google. Embora a Huawei esteja a ser contemplada com adiamentos sucessivos que ainda vão permitindo algumas relações comerciais com empresas dos EUA, e se aguarde o resultado de um eventual acordo que tem pairado no ar após as conversações entre EUA e China, vai-se também tornando mais clara a independência da marca.

Em termos de hardware, a família Mate 30 já não recorre a qualquer componente com origem nos EUA, e o mesmo acontece com a sua gama de produtos para a infraestrutura de redes 5G - um aspecto que seguramente "assustará" os EUA.

Ou seja, em termos técnicos, a Huawei não está minimamente preocupada com o pseudo-bloqueio dos EUA; sendo que a única coisa que se revelará mais problemática para efeitos de imagem junto do público ocidental, será a ausência das apps da Google nos seus smartphones. É isso que tem causado a demora na chegada do Mate 30 até nós, e que inevitavelmente será penalizadora numa altura em que os smartphones da Huawei iam conquistando mercado mundial (mesmo com a possibilidade de serem instaladas manualmente pelos utilizadores). Ainda assim, a Huawei tem sempre o seu mercado natal, onde tem continuado em crescimento, e onde a ausência das apps da Google não levanta qualquer problema - uma vez que os modelos para a China já dispensam as apps da Google há muito.

Com o pânico de querer fechar as portas à Huawei, os EUA estarão também a perceber que fecharam as portas a um excelente cliente de fornecedores norte-americanos... E não me parece que, mesmo que as sanções sejam levantadas, essa confiança possa ser recuperada a curto prazo.

0 comments:

Publicar um comentário