13/01/2021

13/01/2021

Carregamento adaptativo nos Pixel com horário limitado

Depois de muitos anos a Google lá se dignou a adicionar um modo de carregamento adaptativo para poupar a bateria nos Pixel, mas que só funciona em condições bastante específicas.

Manter uma bateria carregada a 100% contribui para a sua degradação, e isso torna-se num problema ainda maior com a tendência para se usarem carregadores e sistemas de carregamento de maior potência que podem recarregar o smartphone a 100% em menos de 1 hora - fazendo com que quem deixa o smartphone ligado ao carregador durante a noite, fique com a bateria desnecessariamente a 100% durante a maior parte da noite. Vários fabricantes já adoptaram sistemas adaptativos, que mantêm a bateria a um nível mais reduzido (por exemplo, 80%) durante a noite, e só recarregam o remanescente quando consideram que estão prestes a ser desligados do carregador; mas no caso do Adaptive Charging que a Google implementou nos Pixel 4 e 5, existem algumas restrições que será preciso ter em conta.

Enquanto que empresas como a Apple analisam o padrão de utilização de cada utilizador para determinarem o padrão de carregamentos e quando será provável que o iPhone irá ser retirado do carregador, a Google optou por pendurar o seu sistema adaptativo na definição dos alarmes para acordar.

Não deixa de ser uma solução que parece demasiado "simplista", para uma empresa que tanto investe em inteligência artificial e tanta informação acumula sobre os utilizadores, e que sofre desde logo de uma grande falha: de não permitir o uso do modo de carregamento adaptativo por quem não usar o despertador no seu Pixel. Mas, como se isso não fosse já suficiente para justificar que a Google revisse a sua posição, temos ainda outras restrições adicionais, como o facto do sistema só funcionar no caso de se definir o alarme para um período entre as 5 e as 10 da manhã, e se ligar o smartphone ao carregador a partir das 21 horas.

Quem por qualquer motivo tiver que acordar antes das 5 da manhã, ficará impedido de usar o sistema, assim como todos aqueles que tiverem a possibilidade de ficar na cama até mais tarde, para além das 10h. Se a Google optou pela solução fácil de usar o alarme para fazer o cálculo do carregamento adaptativo, porque motivo terá achado que faria sentido restringir isso a este intervalo temporal? Porque não deixar que o sistema funcionasse também para quem quiser colocar o alarme para as 12h, ou 14h ou qualquer outra hora?

Ou então, se queriam mesmo poupar o esforço, podiam ter optado por algo ainda mais simples, e disponibilizado uma opção para limitar o nível de carga máxima da bateria, e já ficava o assunto arrumado independentemente dos alarmes.

0 comments:

Publicar um comentário