10/05/2017

10/05/2017

Xiaomi volta-se para a América Latina


Em termos de longo prazo, a Xiaomi sabe que o seu sucesso passa por se expandir, chegando a outros mercados, onde possa vender mais e sobretudo, vender mais caro. A China é um mercado de milhões, mas é nesta altura disputado pela Huawei e OPPO, seguidas por um infindável número de marcas de menor renome, mas que se gladiam para conseguir a sua fatia do mercado.
Europa e EUA principalmente, são mercados que a Xiaomi segue com atenção, mas a regulamentação existente, recomenda a inúmeras cautelas antes de esta lançar aos leões. A Índia foi por isso uma aposta natural, com um mercado ávido por tecnologia a baixos preços.

O Brasil é outro dos países para os quais a Xiaomi olha como objectivo de longo prazo, muito devido às leis entretanto aprovadas, que acabaram por provocar o desactivar das fábricas de várias marcas de renome internacional, como a Sony e Motorola.

Enquanto o cenário neste país não for favorável, a Xiaomi aposta em outros mercados, surgindo agora o México como possível porta de entrada, para mais tarde abordar a América do Sul.

O modelo de negócio será o mesmo que é utilizado na China e Índia, com flash sales para escorar o produto rapidamente, com garantia de não acumular stock. Inicialmente vão estar disponíveis dois modelos, o Redmi Note 4 e Redmi 4X, com o primeiro a começar nos 5,499 Pesos Mexicanos (aproximadamente $296), e o segundo a ser um pouco mais barato, 3,999 Pesos Mexicanos ($209).



a

0 comments:

Publicar um comentário